terça-feira, fevereiro 27, 2007





4 comentários:

Conceição Bernardino disse...

Olá,
“Não quero honras.
Não pretendo ser líder.
Quero apenas partilhar o que encontrei
E mostrar esses novos horizontes”
Texto escrito por Fernão Capelo Gaivota

Como podemos nós suportar tanta miséria à nossa volta, sinto-me impotente, escrevo para minimizar a dor destes inocentes. Mas será que consigo?
Conceição Bernardino
Beijinhos
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Beezzblogger disse...

Ai se a rosa e o Arlindo fossem vivos, certamente que não "cumprendiam", nem nós "cumprendemos", assim vais PORTUGAL, mergulhado nas injustiças, na currupção e no marasmo de ser-mos pequenininhos, mas enormes nestas desgraças...

Abraços do Beezz

Conceição Bernardino disse...

Olá,

Povo

Ò povo que trais sem saber
O corpo que cansada da luta não
Pode ver

Ò néscio que não tiveste
Quem a ti te ensinasse
A andar.

Ò triste que caminhas com os
Pés dos outros,
Sem saber no que estás a pisar!

Poema da autoria de LILIANA BARRETO do LIVRO POISEIS II

Desejo-te uma bela semana, na companhia deste belo poema que encantou os sentidos.

Beijinhos Conceição Bernardino
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Jivago_Pt disse...

Que tal mudarmos todos para as Berlengas e instituir uma nova república na ilha?
Gaivotas não nos faltariam!!!
"Uma gaivota, voava, voava,,,, grito de esperança ...... (sim, falo dessas gaivotas).
Entretanto, postei algo sobre Che, em vossa homenagem, no http://amorprazer.blogspot.com . Abraços, Jivago